Instagram

Bem-estar

10 Superalimentos que deve considerar a partir dos 50

À medida que vamos envelhecendo o nosso corpo vai passando por várias transformações, quer seja ao nível hormonal, quer seja por via do nosso estilo de vida. Essas alterações vão refletir-se na nossa energia, no sono,no nosso bem-estar, na saúde e, inevitavelmente, no nosso aspeto. Costuma dizer-se que somos o que comemos e, a partir de certa idade, o ditado assenta-nos que nem uma luva. Enquanto aos 20 anos podemos comer de tudo, quando atingimos a meia-idade, o nosso corpo já não tem a mesma capacidade de resposta aos ‘maus alimentos’. Por isso, se quisermos estar em forma e reforçar o nosso sistema imunitário, olhemos, de uma vez por todas, para os chamados superalimentosque não podemos dispensar. Antes pelo contrário: eles ajudar-nos-ão a reforçar a nossa saúde e a diminuir os riscos de determinadas doenças relacionadas com o avançar da idade. Por outro lado, à medida que envelhecemos, ficamos com mais propensão para acumular gordura. Perder peso torna-se cada vez mais difícil e os superalimentos podem também ajudar-nos nesta batalha. Eis as minhas sugestões: 

Frutos silvestres,
como os mirtilos ou as framboesas, contêm antioxidantes e, segundo alguns estudos, ajudam a prevenir doenças degenerativas como o Alzheimer. Também são anti-inflamatórios potentes, mantendo o nosso aparelho digestivo saudável.

Cereais,
como a quinoa, o arroz integral, a aveia e a cevada são grandes suplementos de fibras, vitamina B e minerais.


Frutos secos,
como as nozes, a castanha do Pará, as amêndoas ou as avelãs,reduzem o risco de cancro de mama, reforçam o sistema cardiovascular e podem ajudar a baixar o colesterol.

Soja,
e alimentos à base de soja ajudam a regular o estrogénio e, sobretudo, a minimizar efeitos da menopausa como, por exemplo os afrontamentos. Uma dieta à base de soja também pode ajudar a prevenir doenças de coração. 

Maçãs
“Uma maçã por dia nem sabes o bem que te fazia”, diz o povo e com razão. A maçã reduz os níveis do mau colesterol, previne problemas respiratórios, protege os pulmões e ainda evita o aparecimento da diabetes, graças à pectina, muito presente nestes frutos. Graças às vitaminas do complexo B, vitamina C e ácido fosfórico, as maçãs melhoram a memória.

Couves,
como o repolho, a couve-flor, a couve frisada, a couve galega, contêm cálcio, magnésio e fibras. São anticancerígenas e baixam o colesterol. Fortalecem os dentes e os ossos.

Favas,
são ricas em proteínas, muito importantes numa alimentação vegetariana e não só. São também um alimento rico em antioxidantes que ajudam a combater o envelhecimento,

Gelatina vegetal,
Contém colagénio, uma proteína essencial à firmeza dos tecidos e articulações, e também contém água, essencial para o nosso organismo.

Chocolate negro,
com, pelo menos, 70% de cacau. Rico em magnésio, fósforo e potássio. Tem um efeito antioxidante e combate as doenças do intestino – por conter uma elevada percentagem de fibra natural.

Bróculos,
um dos alimentos mais saudáveis a incluir na nossa dieta. Ricos em cálcio, vitamina A, magnésio e fibra. Melhoram a densidade óssea, previnem a obstipação e regulam o sistema imunitário e inflamatório. Ajudam a baixar o colesterol e a tensão.

    Leave a Reply