Instagram

Bem-estar

Mitos e verdades sobre a menopausa

A entrada na menopausa é difícil para muitas de nós e a irritabilidade, as falhas de memória e os afrontamentos são três dos sintomas mais típicos deste período. Mas porque há também muitos mitos associados a esta fase da vida, a Drª Maria do Céu Santo, ginecologista e obstetra, ajuda-nos a desmistificar alguns dos mais comuns. O truque é não deprimir e apostar na qualidade de vida!

Dra. Maria do Céu Santo

A menopausa causa uma diminuição da líbido – VERDADE 
As alterações hormonais da menopausa provocam uma redução da líbido, e o aumento da secura vaginal não ajuda. Mas há mais: durante a menopausa, as paredes vaginais deixam de ser rugosas e passam a ser totalmente lisas e menos elásticas. Sem os devidos cuidados, tudo isto pode ser sinónimo de dor e desconforto durante o sexo. “A redução da líbido na menopausa é hormonal, mas não só. Também é potenciada pela dor e desconforto durante as relações sexuais, causados pela secura vaginal. Se existe dor, claro que o desejo diminui.” Mas a solução está ao alcance de qualquer mulher. “A qualidade das relações sexuais pode manter-se, desde que se previnam algumas situações.” A cosmética vulvar, por exemplo, é fulcral. “Se usamos cremes para a cara, também é importante que os usemos para tratar a vagina. A hidratação vaginal e a utilização de lubrificantes são muito importantes.” Maria do Céu Santo realça ainda a importância de namorar (e muito!).

A data da primeira menstruação tem influência na menopausa – FALSO
Não, a data da primeira menstruação não tem influência no início da menopausa. O que pode ter alguma influência são as características genéticas da ascendência. Se há menopausas precoces na família, é possível que a tendência se mantenha. Ainda assim, o que influencia a chegada da menopausa não é só o fator genético. “Pode haver uma falência do ovário, que deixa de conseguir libertar óvulos e isso leva a uma insuficiência ovárica. Mas também existem algumas doenças ou patologias que desencadeiam a menopausa, e o stresse a ansiedade têm um peso enorme. Qualquer choque emotivo intenso pode perfeitamente levar à menopausa.”

Na menopausa há uma maior suscetibilidade para o desenvolvimento de certas doenças – VERDADE
É verdade que as alterações hormonais da menopausa podem levar ao desenvolvimento de algumas doenças, como a obesidade, enfarte, a hipertensão e a diabetes. Mas, atenção, “a menopausa é só mais uma peça de um puzz leque é o envelhecimento” e é muito difícil perceber se certas patologias se desenvolvem por causa da idade, ou por causa da menopausa. A ginecologista lembra que é muito importante que se faça esta distinção.

A ausência de menstruação é um sinónimo de menopausa – FALSO
Só se pode falar em menopausa 12 meses depois da última menstruação, isto é, depois de um ano em amenorreia. Até lá, e mesmo em mulheres com mais de 40 anos, Maria do Céu Santo lembra que a ausência de menstruação continua a poder ser um sinal de gravidez. Para tirar as teimas e não ter de esperar um ano para saber se (já) está, ou não, na menopausa, pode sempre recorrer a algumas análises hormonais. “Os doseamentos hormonais são um dos indicadores para o diagnóstico da menopausa.”

As mulheres têm mais insónias na menopausa – FALSO
Os sintomas associados à menopausa tendem a durar dois anos, durante os quais o organismo se está a habituar à baixa de hormonas. Passado este período, os sintomas atenuam. Mas as insónias não são um deles. A ginecologista explica: “As mulheres têm sono fracionado na menopausa. Isto quer dizer que adormecem e acordam muitas vezes durante a noite. Mas isto não quer dizer que tenham dificuldade em adormecer. Aliás, geralmente não têm.” O sono fracionado é um dos sintomas da menopausa que tem tendência a melhorar. As insónias, por sua vez, são fruto do avançar da idade. 

    Leave a Reply